Por que e para que esperar – Parte IV

(O BLOG desse tema, foi dividido em algumas partes. Esta é a terceira parte do mesmo, para ler a primeira clique aqui; para ler a segunda clique aqui, para ler a terceira clique aqui. Creio que é uma leitura tanto para mulheres quanto para homens. Espero que lhe ajude e lhe traga clareza nessa área, a fim de que possa provar do melhor que o Senhor tem pra sua vida… Abraços!)

por Sâmia Rocha

20401024_10212717005295698_372015926_nDeus não tem problema com o tempo, nós é que temos e, por isso, muitas vezes, não sabemos esperar e tentamos “ajudar” a Deus, dando o nosso jeitinho, querendo acelerar as coisas e é aí que nos metemos em muitas encrencas desnecessárias… porque NÃO SABEMOS ESPERAR!!

A Bíblia fala em Eclesiastes 3.11: “Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo…” Gosto de dar esse exemplo para explicar esse versículo: É como uma fruta que colhemos antes de estar pronta, madura. Se você já comeu uma banana quando ela ainda não estava totalmente madura (por causa da fome, ou apenas porque queria), você deve ter percebido que ela “trava” “é rançosa”, tem algo nela que te dá desconforto na hora de usufruir.

Na área dos relacionamentos é da mesma forma. Às vezes, nós somos a fruta que ainda não está madura, em outras vezes, é a pessoa com quem queremos nos relacionar. Se insistirmos em provar aquilo, acabaremos percebendo que “algo” não está bom, trava, não encaixa, não preenche! Pode satisfazer as necessidades superficiais da carne e da satisfação em ter alguém, mas não complementa com “aquilo” que está dentro de você que pede algo mais apurado e amadurecido!

Quando metemos os pés pelas mãos e levamos esse relacionamento ao casamento, poderemos passar pelo desconforto de ter que esperar essa pessoa amadurecer, e é aí que muitos relacionamentos se deterioram e acabam, porque se você não teve paciência para esperar antes de casar, provavelmente não terá a paciência de fazer isso depois de casar, com muito mais responsabilidades e pressões envolvidas!

Com isso não estou falando em perfeição. DE FORMA NENHUMA!! Somos seres em constante mudança, cheios de imperfeições, defeitos e sempre teremos coisas para mudar e aperfeiçoar na nossa vida até à volta de Jesus.

Então como discernir esse tempo? Quando saber que chegou o tempo de Deus?

Sabemos que ele chegou quando você não precisa colocar força para aquilo acontecer. Que por mais que existam desafios e mudanças a serem feitas, a coisa flui sem ser um peso, sem te deixar lento! Afinal de contas está escrito em Provérbios 10.22, que a benção do Senhor “enriquece” e não nos acrescenta dores (desgosto, pesar, ferida, trabalho árduo).

Entender o tempo de Deus na nossa vida talvez seja um dos maiores desafios que temos que lidar, porque por natureza o ser humano é imediatista, ele gosta de pensar que ele mesmo é o Senhor do tempo. Quando isso acontece (determinar quando as coisas têm de acontecer), isso só me mostra que não estamos confiando em Deus, porque quem realmente confia em Deus não olha para o relógio, e nem fica olhando “o que não tem”, ele aproveita a “viagem” e tira proveito dela!!

20370426_10212717010855837_1717057580_nQuando eu conheci Augusto (meu marido) foi assim. Eu havia decidido descansar sobre essa área e, quando descansamos, deixamos Deus trabalhar em nosso favor.

Eu lembro de um dia estar em casa em São Paulo e receber uma ligação do diretor geral do Rhema me avisando que haveria uma mudança no meu calendário de aulas, que ao invés de ir dar aula em Portugal mais à frente, ele estaria me enviando para abrir a escola com a primeira matéria do ano letivo de lá. No momento, a notícia não me caiu bem porque iria deixar de dar aula em um determinado lugar que eu queria muito, mas me submeti à mudança!

Viajei para Portugal em Setembro de 2013, e foi quando conheci Augusto, ou melhor, pastor Augusto na época (risos). Ele foi um dos meus alunos no Rhema e cheguei na época a ministrar na sua igreja. Esse foi todo o contato que tive com ele. Passados dois anos sem nenhum contato, já no final de 2015, recebo uma mensagem dele querendo saber algumas coisas sobre o ministério, a visão… e por aí vai… E foi assim que tudo começou. As mensagens breves e esporádicas, se tornaram em longas e diárias e começamos a perceber que mais era o que nos unia, do que as diferenças ou até mesmo a grande distância.

Ele se apaixonou primeiro, eu dei um pouquinho mais de trabalho porque depois de algum tempo eu percebi duas coisas dentro de mim que eram uma barreira que me impedia de ver quem eu tinha na minha frente. Uma delas era a questão do estereótipo. Às vezes caímos na besteira de fazermos “a listinha” do que queremos na pessoa com quem iremos casar, mas você já viu que, na maioria das vezes, essa lista consiste em: ser bonito (a); alto (a); loiro (a); moreno (a); bem-sucedido (a); ter um corpo lindo; nos amar perdidamente e não ter sogra. Não é verdade? Às vezes essa lista consiste mais nos atributos “de fora” do que nos “de dentro” (valores, conceitos, propósito, caráter, educação, visão, amor a Deus…).

Eu tinha as duas listinhas (risos). E travei quando vi que ele não era bem o que estava na minha listinha das coisas de fora. Sim, ele era charmoso e havia atributos por fora, mas não os que eu havia idealizado. Às vezes, é aí que “perdemos” algo bom, e isso quase me aconteceu!! Mesmo resistente, nunca deixei de ter o meu canal aberto com Deus para ouvi-lo. Então, certo dia, chegando em casa, com a minha cabeça a mil pensando sobre todas essas coisas, eu ouvi tão alto e claro dentro de mim o Senhor falando comigo: “Filha, você está olhando tanto para o envelope que está esquecendo de ler a carta! Leia a carta e verá que ele é tudo o que você desejou!”

Sabe, e era mesmo! Os valores, princípios, o coração, o amor que ele tinha por mim… Me fez ver como aquela outra lista era insignificante! Mas, ainda faltava mais uma barreira, que eu só fui perceber que tinha quando me vi vivendo uma experiência com alguém que realmente estava levando as coisas a sério, vi que Augusto não estava brincando quando dizia que gostava de mim e quando falava das suas intenções comigo, e isso me fez perceber que eu tinha medo, medo de errar novamente, medo de ser magoada e machucada, eu tinha medo!

O medo nada mais é do que uma perspectiva negativa do futuro e, muitas vezes, ele tem a sua fonte no passado, nas coisas que haviam acontecido (como foi o meu caso)! Eu estava com a minha visão distorcida, turva, porque estava olhando o meu futuro através dos óculos do meu passado! E toda vez que fizermos assim, medo se levantará para impedir que tenhamos a clara visão da realidade que está diante de nós!

Eu precisava resolver isso dentro de mim, e uma das maneiras foi através de uma passagem que o Senhor ministrou ao meu coração que está em I João 4.18 que fala que o perfeito amor lança fora todo medo. Aleluia!

20401369_10212717010495828_154293801_nEu sei que aqui está falando sobre o amor de Deus, mas, quando algo nasce no propósito de Deus, o amor dEle está envolvido nisso. Então, vem a paz e não tormento. Foi aí que comecei a ver que havia sim algo de Deus em tudo aquilo que estava acontecendo comigo, que havia um propósito, uma ligação entre nós que não estava baseada em beijos ou em abraços, era algo mais forte que as nossas diferenças ou do que a distância física que nos separavam (praticamente 6.000 quilômetros), mais forte até mesmo que a cultura. Era algo que encaixava, que trazia paz e segurança e esse “amor” lançou fora todo o medo que estava tentando roubar o novo de Deus de mim!

Começamos a namorar no dia 02. de Fevereiro de 2016, noivamos no dia 12 de Julho de 2016. Nos casamos no Brasil no dia 18 de Outubro de 2016 e em Portugal no dia 29 de Outubro de 2016, ou seja, em 8 meses começamos a namorar, noivamos e casamos. Me tornei a ‘senhora Sousa’, a minha vida mudou literalmente 100% e, mesmo tendo que “deixar” muitas coisas que amo, valeu e está valendo muito a pena ter esperado em Deus!

Por: Sâmia Rocha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *