Confissão da Nossa Fé

CREMOS NAS ESCRITURAS
A Bíblia é a Palavra inspirada de Deus, produto de homens santos do passado que falaram e escreveram conforme eram movidos pelo Espírito Santo. Aceitamos a Nova Aliança, registrada no Novo Testamento, como nosso guia infalível em assuntos concernentes à conduta e doutrina (II Timóteo 3.16, I Tessalonicenses 2.13 e I Pedro 1.21).

CREMOS NA TRINDADE
Nosso Deus é um, mas é manifesto em três pessoas – o Pai, o Filho e o Espírito Santo. São co-iguais (Filipenses 2.6). Deus Pai é o maior de todos. Ele é a Fonte da Palavra (Logos) e o Gerador da vida (João 14.28: 16.28 e 1.14).
O Filho é a Palavra revestida de carne, Aquele que foi gerado e existe com o pai desde o princípio (João 1.1; 1.18 e 1.14).
O Espírito Santo procede tanto do Pai como do Filho, e é eterno (João 15.26).

CREMOS NO HOMEM, SUA QUEDA E REDENÇÃO
O homem é um ser criado, feito à imagem e semelhança de Deus, contudo, através da transgressão e queda de Adão o pecado entrou no mundo. “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”. Assim está escrito: “Não há um justo, nem um sequer”. Jesus Cristo, o Filho de Deus, foi manifestado para desfazer as obras do diabo. Deu Sua vida e derramou o Seu sangue para redimir e restaurar o homem para com Deus (Romanos 5.14; 3.10; 3.23 e I João 3.8).
A Salvação é o dom de Deus para o homem. Não opera através das obras da lei, mas sim pela graça, por meio da fé em Jesus Cristo, e produz obras agradáveis a Deus (Efésios 2.8).

CREMOS NA VIDA ETERNA E NO NOVO NASCIMENTO
O primeiro passo do homem em direção à salvação é a tristeza piedosa que resulta em arrependimento. O Novo Nascimento é necessário para todos os homens e quando cumprido produz Vida Eterna (II Coríntios 7.10, I João 5.12 e João 3.3-5).

CREMOS NO BATISMO NAS ÁGUAS
O batismo nas águas é por imersão, constitui um mandamento expresso do nosso Senhor para os crentes. A ordenança é o símbolo da identificação de cristão com Cristo em Sua morte, sepultamento e ressurreição (Mateus 28.19, Romanos 6.4, Colossenses 2.12, Atos 8.36-39). Concernente ao batismo nas águas, uma regra é adotada: a saber: “Sobre a tua confissão de fé no Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus, e pela Sua autoridade, eu te batizo em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Amém”.

CREMOS NO BATISMO NO ESPÍRITO SANTO
O batismo no Espírito Santo e fogo é um dom de Deus como foi prometido pelo Senhor Jesus Cristo para todos os crentes desta dispensação. É recebido subseqüentemente ao Novo nascimento. Esta experiência é acompanhada pela evidência inicial de falar em outras línguas conforme o próprio Espírito Santo concede (Mateus 3.11, João 14.16 e 17, Atos 1.8, 2.38 e 39, 19.1-7 e 2.4).

CREMOS NA SANTIFICAÇÃO
A Bíblia ensina que sem santificação ninguém pode ver o Senhor. Cremos na doutrina da Santificação como uma obra definitiva e progressiva da graça; começando no momento da regeneração e tendo continuidade até a consumação da salvação (Hebreus 12.14, I Tessalonicenses 5.23, II Pedro 3.18, II Coríntios 3.18, Filipenses 3.12-14 e I Coríntios 1.30).

CREMOS NA CURA DIVINA
A cura é para doenças físicas do corpo humano e é operada pelo poder de Deus através da oração da fé e pela imposição de mãos. Foi providenciada pela expiação de Cristo e é um privilégio de todo o membro da Igreja hoje (Marcos 16.18, Tiago 5.14-25, I Pedro 2.24, Mateus 8.17 e Isaís 53.4 e 5).

CREMOS NA RESSURREIÇÃO DOS JUSTOS E NA VOLTA DE NOSSO SENHOR
Os anjos disseram: “O mesmo Jesus voltará da mesma maneira que o vistes subir”. Sua volta é iminente. E quando Ele vier “… os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares…” (Atos 1.11, I Tessalonicenses 4.16 e 17).
Depois da Tribulação Ele voltará à terra como Rei dos reis e sacerdotes, reinará mil anos (Apocalipse 2.6).

CREMOS NO INFERNO E NO CASTIGO ETERNO
Aquele que morre fisicamente em seus pecados, sem Cristo, está sem esperança e perdido eternamente no Lago de Fogo; portando não há mais oportunidade no futuro, para ouvir o Evangelho do arrependimento. O Lago de Fogo é literal. Os termos “eterno” e “para sempre”, usados para descrever a duração da punição do castigo no Lago de Fogo, trazem o mesmo sentido e significação da existência sem fim que é usada para indicar a duração do gozo e êxtase dos santos na presença de Deus (Hebreus 9.27 e Apocalipse 19.20).